• Barulhista

Como você diz a alguém que está apaixonado por outra pessoa quando esse alguém é você mesmo? - 3/4





Beep.


Enquanto a pessoa dormia aconteceram invasões bárbaras, tocaram Hannibal (Caribou), tocaram na pessoa, experimentaram seus sons e temperaturas. Você já vai dormir? Ninguém consegue me convencer de que dança do ventre e pole dance são coisas sensuais. Sinceramente não vem me empurrar essas coisas e esperar que eu fique de pau duro com isso. Saio no meio da fumaça e vejo a pessoa caída no sofá cercada por desconhecidos: pintaram suas unhas - tem cheiro de xixi aqui - e o deixaram suas mãos fazendo sinal de chifre, como num filme de Denys Arcand. A pessoa não se importa, dorme. Não pensa no doutorado em Berkley, na sala em que já quase se sentou um prêmio Pulitzer, no amigo do Bolsonaro escondido, no filho do Bolsonaro escondido, na sua idade escondida, não vai voltar depois. A única coisa que importa pra você é ejacular: fé e consolação. (Says - Nils Frahm)

As pessoas perguntam como foi o seu dia porque na verdade elas querem dizer como foi o seu próprio dia, por isso escuta: queria ter nascido numa época em que as pessoas assumissem seus erros, nesta a gente acorda com o corpo cansado. Cartas para o passado que deveria ter acontecido.. Uma pessoa preta fazendo mochilão na europa. Uma engolida de saliva imaginando o ângulo, o sabor e o peso do seu corpo no meu rosto. O desespero pelo clímax, a qualquer custo. Precisa gozar, precisa ser agora, precisa ser aqui, então se afasta pra não cair porra no seu pé.


Grupo Vip: Queridinho, pra entrar no grupo vip de whatsapp o valor é de $75 ,00 por mês com direito a conteúdo, mt putaria diária e lives exclusivas semanais. Entrando no grupo vip você ganha o pacote quente com o video inédito da semana. O pagamento pode ser com depósito ou transferência em contas dos bancos Itaú, Pagbank ou Picpay. Ou se preferir, gero um link de pagamento do Pagseguro pra você pagar com cartão de crédito ou no boleto. Pagamentos fora do Brasil são feitos pelo Paypal. O serviço prestado é exclusivamente para público adulto e antes de fazer algum pagamento preciso me fale se você tem mais de 18 anos. Tem?


Mais tarde.


Yolis: Voltei. Como eu tô cansada!

Yolis: Não tenho pique.

Pessoa: Puxa... o João está tão espoleta assim? E eu tive tanto pique que adiei a música para a noite e estou fazendo uma revolução no quarto.

Yolis: Uma revolução

Yolis:?

Pessoa: Sim, mudando tudo de lugar.

Yolis: Ah, as vezes é bom.

Pessoa: Eu passei muito tempo triste aqui dentro, agora estou bem melhor, daí estou melhorando os objetos também.

Yolis: (sorrindo)

Pessoa: Você ouve músicas apenas no telefone ou tem onde ouvir CD aí?

Yolis: Tem onde ouvir cd sim.

Yolis: Muita coisa aí?

Pessoa: É muita revolução pra um só Che Guevara.

Yolis: Hehe. Se tivesse me chamado eu ajudaria.

Pessoa: Vem pra cá amanhã, daí você me ajuda a desarrumar tudo de novo.

Yolis: Verei o que posso fazer.

Pessoa: Não quero atrapalhar.

Yolis: Atrapalhar não vai. Só acho que não vou conseguir.

Pessoa: Entendo. Bom, então terei de ir até aí sequestrá-la.

Yolis: Não acho ruim, hein.

Pessoa: Foi complicado chegar em casa ontem? Digo, teve problemas?

Yolis: Nada. Cheguei super rápido.

Yolis: Nenhum.

Pessoa: Mas, para sair amanhã quais são os problemas? (Sua família?)

Yolis: Sim.

Yolis: Acho que minha mãe não vai entender o pra onde e com quem.

Pessoa: Tenho que ficar amigo logo da família toda.

Yolis: É. Também acho. Vai ser tudo mais fácil.

Pessoa: Espero mesmo que sua mãe entenda.

Yolis: Eu também. Mesmo!

Pessoa: Não gostaria que inventasse uma desculpa para vir aqui. Desculpas só pioram tudo.

Yolis: E eu não gosto de ficar omitindo e inventando desculpas.

Pessoa: Não é nada bom, mesmo. Enfim, quero te ver.

Yolis: A gente faz outra coisa. Vou pensar em algo.

Pessoa: De toda forma seria bom passar aqui pra você conhecer a turma. Podemos sair na maravilhosa cidade de Contagem, depois volto contigo de metrô.

Yolis: Pois eu quero. Só não posso ficar o dia inteiro.

Pessoa: Organiza o horário e me diz.

Yolis: Não sou boa nessa coisa de organizar. Cedo. Porque eu tô com trauma de pegar ônibus na João César. E sem falar do sono e a preguiça de voltar pra casa a noite.

Pessoa: Acho que não, desde já aviso... não quero ir embora.

Yolis: Não precisa ir embora.

Pessoa: E seu pai?

Yolis: Nem vejo.

Pessoa: Entendo, desculpa ficar perguntando.

Yolis: Não tem problema nenhum.

Pessoa: Fiquei ouvindo Björk e Céu a tarde toda, agora estou me sentindo uma pessoa indie.

Yolis: Hahaha. Falando em Céu, que voz incrível a dela.

Yolis: Das duas. Mas a Céu.

Pessoa: Sim, incrível. Falando em voz.

Yolis: Acho que já tá normal...

Yolis: Rodolfo já me abandonou.

Pessoa: Humpf! Daqui a pouco volta. Você faz fotografia pra cinema? (Documentário)

Yolis: Nunca fiz. Mas ainda farei.

Pessoa: Então tem interesse em fazer certo?

Yolis: Tenho sim. Por que?

Pessoa: Estou vendo algumas possibilidades de você trabalhar com alguns amigos meus... se quiser claro. Não é muito, mas ajuda.na grana.

Yolis: Quero sim. Já ajuda muito uma pessoa desempregada.

Yolis: Mas faço mesmo por prazer.

Pessoa: A turma que eu estou pensando não trabalha sem grana, logo você será remunerada. Não vou sustentar nossa casa sozinho.

Yolis: Isso é o que menos importa, gracinha.

Yolis: Sei fazer artesanato. Qualquer coisa eu vou lá na praça sete vender.

Pessoa: Hahahaha E eu toco bateria com aquele guitarrista.

Yolis: Fechou então.

Pessoa: Já volto Yolis.

Yolis: Vai lá.

Yolis: Quantos caderninhos! E tem eu.

Pessoa: A mesa procê trabalhar comigo. Botei até um cinzeirinho.

Yolis: Obrigada.

Pessoa: Divertido arrumar as coisas.

Yolis: Quando a gente tá animado pra fazer isso... Sim, é divertido.

Pessoa: Pois é, durante a tarde eu estava, agora cansei, termino amanhã.

Pessoa: Que bonito esse "Graça ba Praça". Bela edição.

Yolis: Cê merece um descanso, né?

Yolis: Ai, obrigada. Mas eu fiz tão rápido que nem me lembrei de fade, fazer um título melhorzinho e colocar créditos.

Yolis: Mas eu gosto do vídeo. Graça ba Praça É bonito.

Yolis: Que bom que achou. :)

Yolis: Já tô dando umas cochiladas boas.

Pessoa: 22h30. Vai descansar agora?

Yolis: Acho que sim. Quase não consigo ficar de olhos abertos.

Pessoa: Amanhã combinamos o melhor modo de se abraçar. Dorme bem, qualquer coisa tô aqui, fazendo barulho e pensando em ti.

Yolis: Bom trabalho. Boa noite e até amanhã.

Pessoa: Obrigado. Boa noite, até.




Um corpo sempre presente no horizonte da janela. Nada basta. Depois de unir ossos, músculos, tecidos, a obra estava quase pronta, um corpo desconexo, meio torto e meio manco. A pessoa sorriu, estava habituada, sem susto, estava tudo lá: o sorriso da Viviane, o abraço do Bruno, as pernas da Priscila, o beijo da Dani, mas com a língua da Ana, a conversa do Marcos, a bunda do Marcos misturada com a bunda da Viviane eram muitas as bundas. Escreveu esses nomes no terceiro papel de carta da pasta deixada por minha mãe e onde ela dizia que eu devia escrever coisas bonitas e importantes, teve dúvidas se era este um caso importante. A pessoa diz que vai meditar durante 20 minutos, mas a verdade é que está trancada se masturbando.


Manhã seguinte.


Yolis: Ai, acordei.

Pessoa: Assista a "Blind Pilot Perform Story I Heard" no YouTube.

Pessoa: Bom dia!!!

Yolis: Bom dia, amor!! Decidi trocar de lugar algumas coisas. Como não dá pra trocar os móveis de lugar, decidi trocar os objetos. Mas tá tão caótico...

Pessoa: Às vezes esses espaços com objetos tão pessoais me parecem pequenos altares. Talvez sejam mesmo.

Yolis: Eu acho que são mesmo.

Pessoa: Eu já disse que gosto muito de ti?

Yolis: Já. Eu é que não sei dizer essas coisas bem. Mas gosto muito de você.

Pessoa: Acho que dizer não é tão importante quanto sentir, mas por aqui esse sentimento tem transbordado. desculpa se parecer exagero.

Yolis: Não tem que pedir desculpas. Eu gosto quando você diz.

Pessoa: (Sorrindo)

Yolis: Gostaria de passar um tempo comigo no Santa Tereza tomando um sorvete ou uma cerveja?

Pessoa: Gostaria sim. Que horas?

Yolis: Umas 17h? Ou mais cedo se quiser.

Pessoa: Acho que 17h é um ótimo horário, te aviso daqui a pouco.

Yolis: Ok.

Pessoa: tá tudo bem por aí?

Yolis: Tá sim. Minha mãe vai em uma festa e ficar o dia inteiro, acho.

Yolis: Só o Manoel tá querendo me matar com uma caneta porque eu não desenho um carro pra ele.

Pessoa: Haha Desenha pra ele.

Yolis: Mas se eu desenho um ele continua pedindo.

Pessoa: Faz uns desenhos simples. Ele é pequenininho tem que ter paciência... igual comigo.:

Yolis: hahaha claro

Pessoa: Quando você sai, quem fica com o Manoel?

Yolis: Eu não cuido dele sempre. E ele já estuda haha

Yolis: Ele tá de férias e só.

Pessoa: Faz Belas Artes na Federal?

Yolis: Quase isso

Pessoa: É que o pessoal de lá também parece não saber desenhar carros. Vou tomar um banho... falta pouco pra terminar um trabalho.

Yolis: Vai lá.

Pessoa: O sorvete ainda está de pé?

Yolis: Tá sim!

Pessoa: Eu já estou livre e cheiroso.

Yolis: Vamos nos encontrar 17h mesmo, pode ser? Porque eu fui quase engolida pelo meu quarto e fiquei cansada.

Pessoa: Ok. 17h onde?

Yolis: Eu posso te esperar no metrô. É caminho.

Yolis: Caminho pra mim*

Pessoa: Ok. 17h na estação Santa Tereza.

Yolis: Isso.


26 visualizações0 comentário